Ainda falta um ano e meio para as autárquicas mas Alijó já mexe desde o Verão passado no que toca a eventuais candidatos.

E com tantas movimentações e tão adiantadas, face ao calendário político do “bairro” seria de antever algumas mudanças nos cenários dos principais partidos. No início foi o trauma dos independentes, cujas contusões podem ainda não estar totalmente saradas. Pelo menos o ambiente acalmou no seio do partido de onde se começaram a vislumbrar algumas dissidências. Uma forte liderança ou o habitual clima de “censura” que começou na “recomendação” para não se lerem blogs, acalmaram esses espíritos mais propícios à instabilidade.

Claro que os independentes são “imprevisíveis” como diria repetidamente Jorge Coelho sobre alguns dos seus colegas de Governo nos tempos idos do Guterrismo. (Oh! Que saudades desse socialismo tão… “socialista” de um dos mais inteligentes homens, senão mesmo o mais que o PS já teve nas suas fileiras, o Engº António Guterres). E dada essa imprevisibilidade nunca se sabe se amanha não aparecem mais boatos que agitem as já turvas (digo eu!) águas políticas.

No entanto este fim-de-semana são as eleições para a Comissão Política concelhia do PS. Vítor Silva, o natural candidato, “abdicou” em detrimento de Artur Cascarejo. E se calhar “abdicar” é mesmo o termo correcto sem aspas, dado o carácter cada vez mais monárquico que têm as estruturas políticas locais. Mas o mais estranho disto tudo é o facto de um partido que sempre fez o discurso de separar os poderes (leia-se o presidente da comissão política não é, por principio, o candidato/presidente à câmara municipal), até por uma lógica de (salutar!) auto-regulação, ver como único candidato à CP o actual presidente da Câmara.

A leitura deste cenário, e tendo em atenção o que Artur Cascarejo já disse (não se recandidatava se o SAP não reabrisse, o que todos já perceberam que NÃO vai acontecer), é que este não se recandidatará em 2009. Fica a dúvida sobre o sucessor, cuja nomeação caberá ao próprio (percebe-se então o carácter “monárquico”). A menos que o actual presidente da Câmara esteja a preparar-se para acumular poderes. Note-se que há uma forte possibilidade de vazio de liderança no que toca à figura do próximo candidato socialista, por oposição ao PSD que desde há muito tem definido o candidato e que tem preparado a sua campanha com antecedência notável face à realidade local.

Ou talvez ande o PS apenas a tentar ludibriar os seus adversários com todas estas “mudanças” que na realidade não passam de “mais do mesmo”. A ver vamos… ainda esta semana (digo eu!).

 

Luís Manuel MA

 

Esclarecimento para os Não Esclarecidos: Só perde tempo neste blog quem quer e realmente dá valor ao que cá está escrito. E obviamente agradeço a todos os que consideram ser útil o tempo que aqui passam. Não faço favores nem pretendo recebê-los, limito-me a dar a minha opinião, por paixão à minha terra. Não o faço com segundas intenções. Parece que para muitos é difícil compreender que aquilo que escrevo não tem segundas intenções. Mas não tem… e a prova é a minha palavra. Sobre os comentários devo dizer que são livres e sem censura. O facto de estarem submetidos a prévia aprovação não impede a liberdade de quem os escreve e de escrever o que entende. Creio já ter demonstrado flexibilidade suficiente no passado relativamente a esta questão. Até porque muitas vezes nem sequer sou eu a aprová-los. Referir finalmente que no prazo máximo de 24 horas todos os comentários são publicados desde que não desrespeitam aquilo que são as politicas de aprovação de comentários seguidas por diversos sites e blogs.

publicado por Luís Almeida às 23:25