APELO AO BOM SENSO


Se prova faltava de que a aldeia global está cada vez mais pequena, ei-la hoje aqui apresentada. Em Lisboa, a 400 longínquos quilómetros do Pinhão, chegaram rumores de que se preparava um boicote às proximas presidenciais na nossa vila. Mais do que o rumor sussurou-me o vento que se preparava uma reunião para debater essa possibilidade.


Qualquer tipo de bloqueio a mecanismos democráticos é por conseguinte anti-democrático. Os direitos que 74 nos trouxe são assim menosprezados sempre que atentamos contra a democracia ou os seus instrumentos. Mais concretamente, não tenho qualquer dúvida em classificar de anti-democrático o boicote a qualquer tipo de eleições livres. Há responsabilidades que terão que ser imputadas se os rumores se confirmarem, o que sinceramente espero que não se concretizem.


Reconheço e compreendo as motivações para esta vontade de mostrar ao país que há descontentamento no Pinhão. No entanto, apesar de reconhecer as dificuldades que esta vila atravessa devido a circunstâncias como a ponte ou os CTT, não reconheço validade nos argumentos que sustentam este possível boicote.


Para quem não sabe, os CTT garantiram por comunicado e por oficio à junta e câmara locais que a estação dos correios não fechará num futuro próximo devido ao volume de negócios que tem no Pinhão e que se sabe ser elevado. A reestruturação da empresa alterou algumas coisas mais foi garantido que os serviços se manteriam sendo inclusivamente alargado o período de funcionamento num exemplo que deveria ser seguido pelos comerciantes todos, mas isso é outra conversa (NOTA: Refiro-me ao encerramento para almoço às 12h30 e reabertura às 14h30).


Quanto à ponte, quem como eu, futuro engenheiro civil, ou mesmo qualquer cidadão mais informado, porque felizmente os há na nossa terra e são muitos, sabe que os projectos, em particular os públicos, tem um período de consulta pública em que todos os interessados ou afectados podem consultar, entre outras coisas, o tipo de trabalhos a desenvolver. Como tal há muito, que quem quer e se interessa, sabe que o tabuleiro da ponte iria ser completamente levantado com encerramento do trânsito. Eu disponho dessa informação desde Agosto de 2005 e tenho conhecimento que muito antes dessa data já estavam previstos este tipos de trabalho. Evidentemente era nessa altura, evenutalmente mais cedo, que se deveriam tomar as medidas necessárias para se criar uma solução alternativa à ponte e viável. Não agora, com boicote às eleições que nada irá resolver uma vez que a ponte vai mesmo fechar 3 meses. Alguém andou desatento neste processo... E não esqueçamos que aquando da tragédia de Entre-os-Rios foram utilizados ferry-boats com capacidade para automóveis e nosso caso nem sequer seriam necessários cais improvisados já que tanto o do Pinhão como o do Espinho ou o lugar das Bateiras possuem condições de acesso automóvel.


Nada justifica o boicote às eleições, a população do Pinhão deverá empenhar-se em construir e executar ideias que evitem situações como esta e contar com o apoio das autarquias locais e das instituições locais.


Não quero com isto dizer que esteja contra o que quer que se faça no domingo, simplesmente de nada valerá apelar ao boicote e uma atitude de tal ordem só iria trazer consequências negativas.


Gostaria de deixar uma nota sobre as Presidenciais. Não tenho por hábito exprimir-me politicamente através do site ou deste blog por uma questão de principio. Não estou filiado em nenhum partido oficialmente e sendo esta uma eleição de carácter apartidário gostaria de apelar ao voto útil por Portugal no sentido de ultrapassar as nossas dificuldades. A identificação correcta do candidato que melhores garantias nos poderá dar pela experiência e estabilidade politica é importante para que o voto de cada um de nós seja o mais útil possivel e o mais benéfico para Portugal.


Volto Domingo à noite, num comentário às eleições Presidenciais.


 


Luís ALmeida


LEC-IST2006

publicado por Luís Almeida às 00:43