Para o Douro, mais em particular o nosso concelho e vila, o dia 1 de Abril já não tem significado. Ouve-se tanto e sem qualquer fundamento (muitas vezes também se lê) que uma inocente partida de 1 de Abril já pouco ou nada dos afecta. Também porque estamos (cada vez mais) habituados a ver acontecer coisas que até parecem mentira.

Mas acalmem-se os (poucos, mas bons) que tremem sempre que escrevo no blog… hoje o meu alvo não são os políticos nem a políticas de “bairro” (se é que alguma vez foi??!!). Combinação explosiva juntar o dia das mentiras e os políticos no mesmo texto. Centro-me na enumeração das coisas que vão (ou não) acontecendo e que só podem ser mentira. (NOTA: Por tabela também alguns políticos vão levar, mas é só por tabela, poupem-me lá esta semana!!!).

Parece mentira o dinheiro gasto na praia fluvial do Pinhão (mentira de 1 de Abril, o Pinhão não tem praia fluvial, mas sim Avenida Margina, lol), sendo que no resultado final sai um campo que se suspeita não verificar o mínimo exigido para o Futsal Outdoor. Mas o verdadeiro busílis: seria mesmo indispensável gastar dinheiro ali?

Parece mentira que uma vila turística (como parece que é o Pinhão), não tenha acessibilidades em condições. As estradas estão velhas, esburacadas e são sinuosas. Os comboios é o que se vê. O principal elemento turístico, a estação ferroviária que até lá tem uma exposição patente, está fechado aos fins-de-semana. E se um tipo quiser fazer as elementares ligações para a sede de distrito ou de concelho tem que se levantar com “as galinhas” e regressar na máxima escuridão.

Parece mentira que a marginal do rio Pinhão e o açude continuem ao abandono sem que finalmente arranquem as prometidas obras. Vale de Mendiz, veio de traz e conseguiu os fundos para ter “quase uma praia a sério”.

Parece mentira mas a população continua a diminuir bruscamente e nada é feito. Não se incentiva a natalidade, nem se faz o que muitos consideram o principal: construção de infra-estruturas ou renovação (séria) das existentes. Aquilo que não é mentira é o 12º ano na EB 2,3 do Pinhão (mas foi algo que chegou por intermédio de um programa nacional).

Parece mentira mas a sinalização da ponte nunca funcionou e agora que vem (esperamos) os autocarros turísticos, isso pode ser um problema.

Parece mentira que apenas uma ou duas das diversas associações que o Pinhão tem faça uso pleno (ou o máximo possível) das suas valências e potencialidades. E que os membros das direcções se repitam constantemente.

Mas o mais grave de tudo é que parece mentira mas a verdade é que toda a gente parece satisfeita com o estado actual de coisas. E os que se dizem insatisfeitos resignam-se por se considerarem impotentes. Que saiam e dêem lugar a outros que se apresentam com mais disponibilidade e capacidade (não estou a falar de “fantochadas” tipo MIP).

Luís Manuel MA

publicado por Luís Almeida às 23:57