O Pinhão vai desaparecer!
Não perspectivo que isso aconteça a curto/médio prazo porque o processo de desertificação vai “matando” aldeias com características muito particulares, mas em breve esse “processo natural” de ordenamento do território vai-se tornar menos selectivo e vai fazer estragos em localidades maiores. O Pinhão não estará na primeira fase mas aparecerá numa segunda fase. Não haja dúvidas disso. Venham os especialistas e os doutores nestes assuntos que confirmarão estas profecias.
Escrevo neste blog desde 2005 e nesse período fui apontando algumas soluções e perspectivando mudanças que seriam necessárias para alteração desta conjunctura numa localidade que tem o potencial e os meios para contrariar um processo natural. Fui dizendo que 2005-2009 era a altura para se inverterem tendências e recuperar o que se poderia em breve perder. E fiz coincidir essa previsão com mandatos autárquicos porque acreditei, ingenuamente, que a solução pudesse estar aí. Infelizmente as opções tomadas não melhoraram as situações e agravaram outras instáveis. O processo de desertificação foi drasticamente acelerado. Hoje em dia as politicas no Pinhão são vocacionadas para os mais velhos e esquecem completamente os jovens. Estes encontram formas de passar o tempo que não são as mais dignas… basta passearmo-nos por alguns dos locais da vila para o perceber.
Mudar amanhã é tarde demais. Mudar hoje já não vai a tempo. Depositar confianças noutro tipo de instituições pode ajudar a inverter tendências e pensamentos, mas a actividade destas é sempre barrada no nível autárquico. Lamentavelmente é fácil que os autarcas confundam as iniciativas da associação como propaganda politica. É triste que os autarcas considerem que se faz isto ou aquilo porque existe agenda politica. Nem todos se regem pelos mesmos princípios.
Esperar que as eleições de Outubro possam mudar alguma coisa é ingénuo. Deixar tudo como está é um erro. É pois necessário que apareçam alternativas credíveis e esperar que os partidos, em particular os detentores de maiorias confortáveis, façam avançar as suas melhores opções. É uma falta de respeito enorme pelas populações que se continuem a fazer apostas de pouca qualidade apenas porque os opositores não representam ameaças directas à vitória. Não se trata de vencer ou perder… trata-se de levar o Pinhão para a frente… com aqueles que realmente o desejam.
A todos desejam um excelente 2009.
 
Luís Manuel Almeida
publicado por Luís Almeida às 00:37