ILHA ROSA EM MAR LARANJA


 


Alijó e o Pinhão não seguiram a tendência nacional e ainda reforçaram as suas posições no apoio ao Partido Socialista nas Autárquicas de 2005.


Sem surpresa, Pedro Perry, reconquista a junta de fregusia do Pinhão. Com um programa assente em poucos mas fundamentais pontos e com a mesma equipa de 2001, o Partido Socialista, reforçou no Pinhão a sua posição. Pedro Perry além da vitória poderá interpretar os excelentes resultados obtidos como um grande voto de confiança no seu trabalho. Repare-se que o PS conseguiu mais meia centena de votos e o PSD viu reduzido o seu eleitorado face a 2001. Importante será ainda considerar que a CDU não se apresentou no Pinhão este ano. A diferença entre PS e PSD agravou-se assim.


De Pedro Perry não é de esperar um significativa alteração de presidência da junta até porque os resultados eleitorais não o sugerem. No entanto avizinham-se desafios muito complicados que no anterior mandato não proliferaram. Há a questão da ponte rodoviária cujas obras se irão prolongar por longos e penosos meses e eventualmente com algumas surpresas pelo caminho no desfecho do processo. Não esquecer também que o complexo desportivo a nascer nos antigos terrenos do Sport Club Pinhão não será tarefa fácil de concretizar. Adivinham-se também épocas de prosperidade económica derivada do turismo que deverão ser aproveitadas da forma mais rentável possível.


Na câmara de Alijó as mudanças irão mesmo ser nos vereadores do PSD. A relação 4-3 mantém-se com o PS a liderar, desta feita com 811 votos de diferença contra os escassos 123 de 2001. Os vereadores do PS manter-se-ão e após a convulsão pré-eleitoral no PSD as caras são já novas como há muito se sabe. Apesar dos mandatos para a câmara municipal não reflectirem o ganho de posição nos votos efectivos, o mesmo não sucede quanto à assembleia municipal com o reforço de dois mandatos num total de 13 para o PS "roubados" ao PSD.


Também Artur Cascarejo terá um mandato previsivelmente mais conturbado dado o ambicioso programa eleitoral que apresentou. Mas este voto de confiança dos eleitores é o sinal verde necessário para a execução e promoção das iniciativas mais arrojadas. É também o livre-trânsito que Artur Cascarejo precisava para "viver e sentir" ainda mais o concelho.  Evidentemente a maioria absoluta, derivada da ausência de vereadores da CDU, trará a tranquilidade necessária com que se têm pautado estes últimos quatro anos.


Uma última nota para o facto de 14 das 19 freguesias de Alijó serem socialistas o que faz deste concelho uma ilha rosa num mar laranja protagonizado pelo nosso distrito e mesmo pela região transmontana. Com particular destque para Casal de Loivos, onde Albano Rodrigues, ex-vice presidente PS no Pinhão conquistou a junta local.


A título pessoal desejo a Pedro Perry e Artur Cascarejo as melhores felicidades no desempenho das suas funções, respectivamente, na Junta de Freguesia do Pinhão e Câmara de Alijó.


 


Luís Almeida


ctpluis@sapo.pt

publicado por Luís Almeida às 00:10