Executei este fim-de-semana uma das mais difíceis decisões que tomei na minha vida, até ao momento.
A decisão que tomei vai valer-me poucas palavras simpáticas de muitas pessoas que admiro. Desde 2005 que escrevo neste blog e que basicamente tenho defendido algumas ideias na base de que é o interesse da minha terra que me move.
Hoje tenho a oportunidade de profissionalmente estar no Douro… não sei até quando, é certo, mas devo, enquanto aqui estiver, dar o melhor de mim se tal for útil para melhorar as coisas. Foi esta a minha exclusiva motivação para aceitar o projecto no qual estou incluído.
Esquecendo aquilo que são os meus ideais particulares, que aqui nada interessam, o Pinhão suplanta-se a qualquer interesse partidário e é em prol da minha localidade que sempre me posicionarei enquanto entender que tenho algo a oferecer-lhe. Ou enquanto esta quiser aceitar o meu contributo.
Estou de consciência tranquila porque em nada abalei os meus princípios e a minha forma de entender a sociedade, o mundo, a politica e a economia. A escolha que fiz teve exclusivamente a ver com o futuro da minha terra e com a mágoa de o partido no poder no nosso concelho não ter precavido esta situação. Tenho a plena consciência de que o projecto onde estou incluído não tem o carácter sebastianista ou salomónico que muitos desejam, mas tenho a certeza que é um projecto que tudo fará para inverter o estado das coisas. E neste momento, esse é o desafio e a motivação suficientes.
Escrevi, neste mesmo blog em Setembro último que “os socialistas deverão engolir o orgulho e chamar a verdadeira e única opção que poderá fazer face ao previsível ataque em força do PSD”. O PS de Alijó continua a ignorar o Pinhão e os seus problemas. Pode ainda ser cedo, mas face a iminência da apresentação da candidata do PSD, que afinal se revelou a apresentação de toda uma lista já formada (estamos a 6 meses e já foram confirmadas mais de 11 pessoas), o PS tinha que já ter definido a sua estratégia: fosse ela reconduzir Pedro Perry dando-lhe o apoio e a base que tantas vezes lhe faltaram e que com isso o prejudicaram; fosse ela a procura de uma solução capaz de fazer face à mais que certa aposta alta da oposição.
A solução de que falo está na posse do PS há mais de 8 anos. E se ela for agora utilizada, perante a possibilidade do actual presidente desejar não continuar, mostrará uma vez mais que os socialistas de ALIJÓ apenas tem interesses partidários e não prezam pelo futuro do Pinhão para além de possivelmente sacrificarem outros resultados noutras freguesias. A politica pode ser um jogo… mas o interesse dos cidadãos e das localidades não o é!!!
Se a memória não me falha, nestes quatro anos em que edito este blog nunca falei de mim ou das minhas opções, peço desculpa pelo ter feito hoje.
 
Luís Manuel Almeida
sinto-me:
publicado por Luís Almeida às 23:50