Jornada 2                                                                                                                          UEFA Liga dos Campeões


Tem sido uma jornada negra que só a UEFA pode salvar e onde apenas o Setúbal está em "piores lençóis"


Costuma-se dizer que "o peixe morre pela boca". Pela segunda vez, arrogantemente, Co Adriensse se refere ao seu adversário como uma equipa claramente inferior que vem ao Dragão jogar à defesa. Com o Belenenses parece não se ter enganado muito. Mas este Artmedia, claramente inferior à equipa do Restelo, ganhou mesmo um jogo. Não precisou de dominar, não precisou de pressionar muito, bastou aproveitar os erros que o FC Porto infantilmente comete e tem vindo a cometer desde à muito. Diz-se que esta é a equipa que melhor futebol tem praticado em Portugal, eventualmente porque nenhum adversário aproveitou de forma fria e eficaz os erros do FC Porto como o Artmedia o fez. Não se chama a isto jogar à defesa, chama-se uma equipa pequena no terreno do ex-campeão da europa e actual vencedor da Taça Intercontinental aproveitar eficazmente os erros adversários. Não se pode censurar o Artmedia por ter marcado sempre que pôde! E não se pode esquecer que o Inter de Milão sofreu para levar de vencida esta humilde equipa.


Também sem encher o olho continua o Inter que teve de voltar a arrancar a ferros uma vitória mínima num estádio deserto.


Na terça-feira jogou a equipa que transporta as insignias de campeão português. O adversário precisava do jogo para subir na credibilidade dos seus adeptos mas nem isso assustou um Benfica que só não foi mais ousado e perturbador porque Koeman não quis. A derrota deve-se claramente ao treinador por insistir em Beto em clara baixa de forma. E desta vez não se pode desculpar com falta de opções: João Pereira, Geovanni, Karagounis e até Pedro Mantorras com Micolli na direita eram opções possíveis que deixariam o Benfica desperto para o ataque após o empate e na iminência de vencer a partida. Quem não marca sofre. E se o Manchester deixou o Benfica chegar ao empate, apresentando uma empatia medíocre e pouco caracteristica na segunda parte, depois do fantástico golo de Simão, deitou mãos ao trabalho perante a inoperância benfiquista e a falta de leitura de Koeman. Certamente não seriam as substituições a 5 minutos do fim que resolveriam o jogo a favor da equipa da Luz. Estas substituições chegaram 45 minutos atrasadas. O Benfica deixou fugir a vitória perante um Manchester completamente ao seu alcance podendo com isso vir a desfrutar de uma vantagem de 5 pontos sobre estes e 4 sobre o Villarreal, podendo encarar o próximo jogo em Espanha, com uma tranquilidade enorme. Para não falar nos índices de motivação.


No outro jogo, o Lille e o Villarreal, protagonizaram um jogo digno da Liga dos Campeões apenas manchado pelo nulo no marcador.


Até à terceira jornada!


Luís Almeida (ctpluis@sapo.pt)


lc_matchday2.jpg



O 3º golo do Artmedia

publicado por Luís Almeida às 22:03