Num destes fins-de-noite de campanha, sob a protecção do centenário plátano que escurece e encobre todo aquele largo junto ao tribunal acerca-se, a medo, com receio do que a exposição pública junto de elementos da comitiva laranja poderia provocar no falatório habitual e com receio das consequências por parte de quem está no poder, alguém. Alguém que timidamente revela o seu apoio, que timidamente nos diz que está connosco, alguém que com medo diz que não o pode dizer em voz alta, alguém que apenas quer uma lembrança com a insígnia da coligação porque não aguenta mais, alguém que quis que soubéssemos que podemos contar. (Esta é uma história verídica, uma de muitas…)
 
Estava efectivamente na hora de mudar. Os eleitores do concelho de Alijó assim não o entenderam. Mas também parece ter ficado claro que não estão mais contentes porque os resultados obtidos absoluta e percentualmente são exactamente os mesmos que em 2005.
Tendo eu participado activamente nesta campanha numa das listas de Assembleia de Freguesia do PPD/PSD.CDS-PP optei por não fazer referência a esse facto neste blog, pelo menos de forma objectiva, apesar da evidência ser clara (pelo menos) pelos links aqui ao lado.
Agora que tudo terminou é tempo de fazer balanço à experiência e ao resultado. E faço-o de forma aberta e descomplexada e, se me permitirem, do ponto de vista pessoal.
Começo por citar Manuela Ferreira Leite para dizer que esta “foi a campanha que imaginei desde inicio”. Uma campanha de ideias, de debate, de positivismo. Uma campanha onde o PSD esteve sempre sozinho porque os opositores se recusaram a dar ideias, a debater e a ser positivos. Mas uma campanha da qual me orgulho de ter pertencido.
Num plano mais pessoal e mais egocêntrico tenho que referir que cresci, como homem, como pessoa. Conheci mais profundamente um concelho onde ainda faltam coisas demasiado básicas. Aprendi bastante com o PSD e com a estrutura da coligação. Politicamente sinto-me hoje maior. Fez-se política a sério e da forma que sempre idealizei que a politica se deveria fazer. Sinto hoje orgulho em ter aceite o convite que me foi formulado pela Sandra Moutinho e pelo Dr. Miguel Rodriges.
Tenho também que deixar escrito que foi para mim um enorme orgulho estar ao lado do Dr. Miguel Rodrigues e do Partido Social Democrata de Alijó sem esquecer todos quantos estão na sua estrutura incluindo obviamente o candidato à Assembleia, o Eng.º Pedro Pimentel. Foi e é refrescante poder assistir na primeira pessoa à forma séria, rigorosa e isenta como estão na politica e como defenderam o concelho e as suas gentes.
Disseram neste blog, pessoas cuja identidade, filiação e cargo partidário eu conheço, apesar do anonimato, que eu procurava “tachos”, que tinha sede de poder, que eu dia 12 seria um “Luís Manuel mais calmo”, que eu ainda levantaria uma bandeira do PS.
Ficou claro com estas afirmações que o PS teve receio de uma derrota ontem. Ficou claro que eu não tinha interesses de qualquer ordem (tachos ou poder) senão hoje estaria efectivamente “mais calmo”. Reitero ao Dr. Miguel Rodrigues e à coligação que ele liderou o meu mais profundo apoio, como de resto o pude fazer directamente ainda ontem. Quero deixar claro que não andei “a colar cartazes do PSD” para daqui por quatro anos me virar para o PS… lembram-se???
 
Luís Almeida
publicado por Luís Almeida às 11:55